BLOG

01/27
2021

O Brasil possui atualmente a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso emergencial de dois tipos de vacinas contra a Covid-19, são elas: a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac, e a Oxford, desenvolvida pela farmacêutica britânica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, em parceria com a Fiocruz, sendo fabricada no Instituto Serum da Índia.

Segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), até o momento, foram encaminhadas 8,9 milhões de doses das vacinas aos estados brasileiros, sendo 2 milhões de doses da vacina da Oxford/AstraZeneca e 6,9 milhões de doses da vacina CoronaVac (seis milhões no 1º lote e cerca de 900 mil do 2º lote).

As vacinas distribuídas são suficientes para imunizar 7% dos públicos prioritários definidos no plano de imunização contra a doença, atualizados recentemente, dentre eles: profissionais de saúde, idosos em instituições de longa permanência, indígenas aldeados, pessoas com deficiência com 18 anos de idade ou mais, trabalhadores de saúde, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas e quilombolas, pessoas com mais de 75 anos, idosos de 60 anos a 74 anos, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente grave, moradores de rua, população privada de liberdade e funcionários dessas instituições, trabalhadores da educação do ensino básico e superior, forças de segurança e armadas. Além desses, também foram incluídos trabalhadores do transporte público de coletivos, linhas aéreas e transporte metroviário, rodoviário e aquaviário.

Confira a lista completa de populações prioritárias:

•Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas;

•Pessoas com deficiência institucionalizadas;

•Povos indígenas vivendo em terras indígenas;

•Trabalhadores de saúde;

•Pessoas de 60 anos ou mais;

•Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas;

•Povos e comunidades tradicionais quilombolas;

•Pessoas com comorbidades;

•Pessoas com deficiência permanente grave;

•Pessoas em situação de rua;

•População privada de liberdade;

•Funcionário do sistema de privação de liberdade;

•Trabalhadores de educação;

•Forças de segurança, salvamento e Forças Armadas;

•Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros;

•Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário;

•Trabalhadores de transporte aéreo;

•Trabalhadores de transporte de aquaviário;

•Caminhoneiros;

•Trabalhadores portuários; e

•Trabalhadores industriais


Com a atualização do plano de vacinação, o total do público prioritário subiu para 77,2 milhões de pessoas. A CoronaVac tem eficácia geral de 50,38%. Já a vacina de Oxford mostrou eficácia média de 70,4%.

Ao menos 883.200 pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19 no Brasil até o dia 25 de janeiro. Novas 10 milhões de doses da vacina Oxford devem chegar em fevereiro, segundo informação de um dos diretores-executivo do Instituto Serum, da Índia, Suresh Jadhav.

 

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados